fbpx

Versão em Áudio: Ouça Aqui

Afinal, por qual motivo devemos fazer um planejamento de vida se mal sabemos direito definir o que queremos comer no almoço? Como fazer um planejamento de vida se sequer conseguimos seguir o que nos comprometemos a fazer no dia seguinte? Estes são questionamentos importantes para você fazer antes de entender o que é um planejamento de vida.

Sorte a sua que irei responder tudo isto aqui.

Fazer um planejamento de vida não significa que você vai escrever o seu destino na pedra. É exatamente o contrário: o seu planejamento é apenas um guia que vai te ajudar a trilhar melhor seus próprios caminhos. Você terá mais foco, poder de decisão e assertividade. E isso não significa que você não possa mudar de ideia. Você pode e vai.

Mas vai mudar de ideia no momento certo.

A maioria das pessoas vive a própria vida tomando decisões sobre qual caminho deve seguir dia após dia. Mas nossa mente não consegue enxergar as repercussões das decisões no momento que tomamos elas. É por isso que um plano é importante: ele é seu guia de quais pequenas decisões você irá tomar antes do momento de decisão chegar. Um planejamento de vida te ajuda a ter direção e foco.

E é isso que você vai aprender agora, nível por nível.

Planejamento de Vida: Nível 1 – Tarefas Semanais

Dia por dia, hora por hora, tarefa por tarefa você vai concluir seu planejamento de vida.

Este é o nível das tarefas.

Significa que você precisa entender apenas o que tem para fazer. Não existem muitas decisões a tomar no planejamento de vida semanal. Tudo que você precisa é não perder tarefas. Por exemplo, utilizar algum sistema simples como o Todoist ou mesmo o Google Agenda é suficiente para ter um planejamento de vida semanal.

E qual o objetivo das tarefas semanais?

Talvez você seja o tipo de pessoa super organizada que considera essa pergunta um insulto, mas caso você não seja, deixa te explicar: se você não sabe o que fazer, então fará qualquer coisa. Mesmo que seja inútil. E isso vale tanto para as atividades domésticas, do trabalho ou mesmo para os lugares que visita com seus amigos.

Ter uma lista simples de tarefas aumentará sua produtividade.

E, pouco a pouco, você poderá se tornar uma pessoa mais focada no próximo nível do planejamento de vida. Mas, por enquanto, fica comigo e entenda alguns simples princípios do planejamento de tarefas. Todas as suas tarefas precisam seguir a metodologia SMART para que sejam simples de entender e realizar. A pior situação é ter uma indecisão e não saber se algo está pronto ou porque você não definiu o que significa “pronto”.

Então você colocará suas tarefas em cada dia da semana.

Se ficar sem ideias, coloque simplesmente “trabalhar” ou “estudar” e vá melhorando a partir da metodologia SMART que você aprendeu. Conforme for melhorando, você precisará preencher com cuidado as suas tarefas de modo que possa sempre preencher o seu tempo de um modo eficaz. Assim vai conseguindo sempre ter tempo para imprevistos bem como para reduzir o tempo desperdiçado.

O segredo do planejamento semanal está em um dia da semana.

Durante 10 a 30 minutos, todas as semanas, você fará o planejamento. É bem simples, basta sentar um pouco e agendar todas as suas atividades da semana. Isso é ótimo para resolver conflitos de tarefas, excessos ou mesmo faltas. Consulte os documentos que forem necessários e prepare seu simples agendamento. 

É útil fazer isto no final da sua semana.

Fazer o planejamento de vida semanal num sábado pela manhã, por exemplo, é uma ótima ideia. Isso levando em conta que você não vá trabalhar no domingo. E sim, você pode colocar o seu lazer no planejamento também, isso até ajuda a ter mais foco e ser uma pessoa mais resolvida quanto à própria felicidade (ao invés de ficar em casa vendo Faustão).

Planejamento de Vida: Nível 2 – Objetivo Central do Mês

Que tal adicionar um casamento ao seu planejamento de vida?

O que você terá esse mês que não teve no anterior?

Essa é uma ótima visão sobre o planejamento de vida mensal. Cada mês é um grandioso período para se realizar muitas ações. Seja isso aprender a dançar forró (só o básico), aprender alguma arte marcial, estudar um idioma ou simplesmente entregar aquele projeto do trabalho que você tanto deseja.

Cada mês precisa ter um foco.

E isso não tem o objetivo de criar alguma super novidade na sua vida, mas sim de dar o foco a um projeto e somente um projeto. Por exemplo, essa definição vai te ajudar a decidir o que fazer quando estiver super cansado mas o projeto estiver atrasado e seus amigos te chamarem para sair. Qual é o objetivo central do mês? Relaxar e desestressar? Ou dar tudo de si para atingir o que deseja?

Dependendo do seu foco, a decisão é imediata.

E uma ótima ideia é concatenar seus objetivos mensais. Num mês você pode ter foco intenso em trabalho e, no outro, em viagens todo fim de semana. Faça da forma que você acredita que conseguirá ter máxima performance. E para garantir essa performance, você precisará de métricas de sucesso.

Ou seja, lembra do planejamento semanal?

Todo início do mês você terá um planejamento que será semanal e mensal. Nesse planejamento você fará uma simples análise do seu objetivo do mês e colocará 4 métricas para serem atingidas, uma em cada semana. Quando chegar na semana e você for fazer o planejamento, basta comparar seu desempenho real com o esperado e lembrar sempre que “O Mapa Não é o Território”.

Se for abaixo do esperado, basta aprender com os erros.

E se for maior, aprenderá com o que está certo. Conforme você for fazendo esses pequenos planejamentos semanais, você terá cada vez mais controle e percepção sobre o quanto você pode fazer numa semana (e num mês). Em resumo, o planejamento de vida mensal tem o objetivo de colocar você num grande foco do mês, priorizando um projeto acima de todos, mesmo que isso exija sacrifícios.

Outra questão importante é a sua velocidade.

Uma vez definido o seu objetivo (se semanal ou mensal), ele não poderá mudar até o próximo planejamento exceto caso ele deixe, totalmente, de ser relevante. Treine a sua palavra consigo mesmo. Então você perceberá a sua velocidade de conclusão de tarefas e de métricas de objetivos. Não se preocupe se errar no começo.

Conforme o tempo passar, você ficará melhor nisso.

E tente, o máximo possível, não mudar o seu planejamento de vida no meio do caminho. Por exemplo, o planejamento de tarefas acontece uma vez por semana. Se ele acontece no sábado, então é recomendável que você siga tudo que foi combinado no sábado e não decida alterar na quarta, por exemplo. No planejamento mensal, se você fizer toda primeira semana do mês, então da mesma forma é importante não mudar até lá.

Adicione e remova tarefas e objetivos somente no momento apropriado.

Com o tempo, isso vai colaborando para os objetivos maiores e de maior calibre, aqueles que possuem um significado profundo na sua vida e que representam, de verdade, o que você acredita. Os níveis de planejamento de vida anual e de futuro são tão profundos que respondem perguntas como “o que você faria se não precisasse de dinheiro?”.

E são esses níveis que vamos aprofundar agora.

Planejamento de Vida: Nível 3 – Metas Incrementais do Ano

Modificar a alimentação ou introduzir uma rotina de exercícios frequente exige mudanças no seu planejamento de vida.
Modificar a alimentação ou introduzir uma rotina de exercícios frequente exige mudanças no seu planejamento de vida.

Uma folhinha de papel basta, sabia?

Muitas pessoas têm metas incrementais todos os anos, mas ficam sempre empurrando para o próximo ano. Colocam lá, no dia primeiro de Janeiro, que vão finalmente fazer uma viagem à Europa. Fazem isso por 5 anos seguidos e, de repente, tiram isso da listinha e adicionam uma dose de tristeza e desapontamento na própria vida. Isso porque gastaram toda a grana e energia em bares.

Imagino que você não queira isso, certo?

Então entenda de forma simples: o planejamento de vida de nível anual é feito para os seus desejos mais fortes atuais. Desejos como, por exemplo, comprar um carro/moto, fazer uma viagem, passar num concurso, ter constância na academia, desenvolver-se profissionalmente e similares. Existem dois pequenos segredos que fazem toda a diferença nestes planejamentos e que fazem com que uma simples folhinha de papel resolva seu problema.

Planejamento de vida anual é simples.

Ele é genérico. O planejamento anual acontece mês a mês, mas esquecemos disso e não damos a chance de dar o foco ou prioridade corretos a cada vez que planejamos nosso mês. Em simples palavras, você só precisa de duas questões resolvidas no planejamento anual: prioridades e periodicidade. Esses são os segredos.

Prioridade é colocar um número na frente de cada objetivo.

1. Ir à academia por 90 dias (sendo 30 seguidos).

2. Fazer uma especialização na minha área.

3. Comprar um Drone e aprender FPV*. 

4. Tirar férias de verdade e relaxar.

FPV:

Deep in the Guatemalan Jungle with my FPV Drones
Watch this video on YouTube.

Percebe que simples?

Você é humano e precisa entender e respeitar isso. Nós escrevemos objetivos numa folha de papel como se fôssemos robôs que vão resolver tudo aquilo seguindo uma ordem lógica. Aqui vai a resposta dura: isso não vai acontecer. Você deve colocar objetivos em ordem de prioridade.

Qual objetivo deve ser cumprido às custas do outro?

De preferência, é importante que você sempre tenha mais objetivos do que consegue cumprir. Mas que você inicie o seu ano já focando no seu primeiro objetivo mais importante. Por exemplo, se eu digo que meu objetivo de ir à academia é mais importante que a especialização, então eu preciso terminar o objetivo da academia primeiro do que a especialização, entende?

E você vai revisar isso todo mês.

No planejamento de vida mensal, você vai colocar um objetivo central, certo? Em alguns meses, esse objetivo pode ser um dos seus grandes objetivos anuais. Mas é preciso ser um pouco maleável. Não adianta ter 12 objetivos para preencher os 12 meses. Você pode ter 3 ou 30 objetivos. Você quem escolhe.

O importante é a resiliência.

Resiliência de entender que aparecerão objetivos no meio do ano que você não esperava e que você precisa lidar com eles com urgência. Assim como alguns objetivos precisarão de mais de um mês para serem cumpridos. E é só isso. No final, você terá uma semana no ano para adicionar seus objetivos anuais. E toda semana você revisará os semanais, mensais e anuais

Assim a mente estará sempre fresca.

Planejamento de Vida: Nível 4 – Crenças e Futuro de Vida

Como é a sua vida ideal?
Como é a sua vida ideal?

Este planejamento é fácil.

Se você quer escrever algo e colocar no papel o seu planejamento para os próximos 10 anos, preciso te alertar que não é aqui que você vai aprender. Entender e fazer seu planejamento anual é importante, mas para você fazer algo gigantesco é preciso ter seu planejamento anual funcionando corretamente. Já seu planejamento de vida é mais simples do que você imagina.

Ele começa aqui.

Começa exatamente onde você está e com uma pergunta: você está feliz? E, se não estiver, o que pode e precisa fazer para que seja feliz? O planejamento de vida não tem relação com metas, objetivos e nem nada parecido. Tem relação com o poder do agora, da presença e de estar feliz independente de onde, como ou com quem você esteja.

É sobre o que você quer para sua vida.

É também saber estar feliz mesmo que hajam adversidades. É saber ajudar mesmo estando machucado. Tudo isso faz parte do seu sistema de crenças e isto define todo o resto do planejamento que você fará na sua vida. No momento que você souber, exatamente, quais são suas crenças e o que é importante para você, seu planejamento de vida sairá naturalmente.

E este é um processo lento mas firme.

Por isso eu te convido, gratuitamente, a participar dos meus minicursos gratuitos de autoconhecimento. Eles são o pontapé inicial para que você se torne o grande conquistador da própria vida e realizador da própria felicidade. Garanto que será uma experiência magnífica fazer parte da comunidade e ter seu planejamento de vida bastante firme.

Basta aceitar Evoluir aqui.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *