fbpx
O ponto de partida
Motivação começa de dentro para fora

Motivação é o combustível humano que leva as pessoas à conquista de seus objetivos e tem o poder de transformar sonhos em realidade.

Motivação é a essência realizadora dos projetos de vida das pessoas e pode ser entendida como um impulso nobre, necessário e primordial para o desenvolvimento do indivíduo.

O pensamento é a energia que gera a força, que movimenta e transforma.

A VONTADE é o princípio fundamental da evolução, pois é a partir da vontade que o conhecimento e a capacidade se consolidam.

De nada adianta todo o conhecimento e toda a capacidade do mundo se a pessoa não tiver vontade.

Nosso trabalho neste artigo, será de demonstrar a relação simbiótica entre a vontade e a motivação.

Além de esclarecer seu papel fundamental em nossas conquistas e sua relevância no contexto da felicidade.

Vamos entender as origens dos processos de motivação, seu funcionamento, onde se instala e o que interrompe o processo de motivação das pessoas.

Motivação é muito mais que um simples jogo de palavras:

A perspectiva de seguir em frente
Motivação para não desistir e vencer

Motivação seria um primor para os profissionais de marketing, se sua origem fosse a soma simples das palavras MOTIVO + AÇÃO, mas motivação é muito mais que isto.

Motivação é um elemento variável da psicologia humana, pois é dinâmica, muda em forma e intensidade entre os indivíduos.

Uma mesma pessoa pode experimentar níveis motivacionais diferentes, dependendo das situações e de seu estado de espírito.

Motivação tem a propriedade de se transformar por impulsos e costuma responder a manipulações conscientes, o que é bom, pois significa que podemos controlar a maior parte de nossas manifestações motivacionais.

Quando estamos sob uma atitude motivada, significa que nosso cérebro promoveu pensamentos com energia suficiente a nos mover na direção de determinado objetivo.

O que nos leva à ação e, se tudo der certo, à realização daquela meta, se transformando numa conquista.

A psicologia classifica a motivação em 3 etapas fundamentais:

  • ATIVAÇÃO: O processo de motivação é ativado a partir de nossos impulsos, sendo que boa parte deles são irracionais, provenientes de nossa carga genética, que acionada por impulsos, responde com comportamentos e ações. No caso da motivação, ela também está sujeita aos impulsos conscientes, quando nos determinamos a “sentir vontade de algo” e esta vontade resultante nos motiva e nos empurra em direção à realização;
  • PERSISTÊNCIA: A motivação que persiste é aquela que aponta a direção para nosso esforço e nossa determinação em conquistar aquele objetivo. O estímulo, proveniente do impulso, se transforma em chama e a persistência é o elemento que a mantém acesa, significando a determinação em prosseguir;
  • INTENSIDADE: Está relacionada à quantidade de dedicação, empenho, tempo e esforço que nos propomos a dedicar à realização daquele objetivo.

A base teórica da psicologia para explicar a motivação:

A teoria da motivação
A ciência explica a motivação

Motivação vai muito além de um conceito e se trata de um estado psicológico alimentado por estímulos internos e externos, que aciona nossos mecanismos e potenciais de realização de metas e objetivos.

Nossa intenção é aprofundar a compreensão sobre o que é a motivação, seu ponto de partida, como ela se consolida e sustenta e de que forma podemos interferir na sua existência e operação.

A psicologia desenvolveu 3 percepções distintas e relacionadas para entender como a motivação se processa:

1 – Perspectiva cognitiva:

Esta visão entende o homem a partir de sua racionalidade, o que determina seu controle sobre seus comportamentos e decisões, mesmo que tudo seja movimentado a partir de impulsos.

A base desta teoria é de que os gatilhos acionam os impulsos que geram os estímulos e estes provocam os comportamentos.

Mesmo que os impulsos e estímulos aconteçam no campo subconsciente, que não controlamos, ainda assim, os comportamentos estão em nossa superfície consciente, o que nos dá total controle de decisão sobre nossos atos.

Esta perspectiva reforça nossa responsabilidade consciente sobre nossas decisões, o que nos faz curiosos, porém competentes para decidir quais motivações devemos alimentar ou isolar, considerando nossos princípios de interesse, de moral e de ética.

Esta perspectiva cognitiva considera 2 teorias para a construção da motivação:

  1. EXPECTATIVA DE VALOR: A partir de nosso conhecimento e razão, entendemos o mundo e definimos o que está ao nosso alcance, determinando o que podemos conquistar e passamos a perseguir estes objetivos, o que origina nossa motivação;
  2. AUTODETERMINAÇÃO: Mesmo que sejamos incapazes de controlar a origem de nossos impulsos, pois acontecem no universo do nosso subconsciente, podemos selecionar racionalmente o que importa e merece nosso empenho, o que tem o poder de direcionar nossa motivação.

2 – Perspectiva evolucionista e humanista:

Esta perspectiva está ligada ao nosso conceito antropológico, da nossa conformação biológica, que entende que somos mamíferos antes mesmo de sermos racionais e que nossos motivos partem de nossos impulsos profundos, que brotam de nossas raízes genéticas.

Contrapõe a perspectiva cognitiva, pois retira a razão como elemento controlador de nossas vontades.

Ao menos considerando que é a razão que decide, mas ela pode estar aprisionada pelas manifestações instintivas mais profundas.

Os vícios são um exemplo desta perspectiva, quando alguém sente absurda vontade de fumar, mesmo que não queira e que conheça todo o mal que este desejo causa em sua saúde e sobrevivência.

A psicologia possui uma definição lógica para instinto:

 “Instinto é um padrão fixo hereditário e genético de comportamento inato e inflexível dirigido para um objetivo.”

Freud afirmava que instintos são maiores que nossas motivações, “são tensões internas que atuam na busca de nossa satisfação e prazer primordial.”

Freud era tão cruel quanto a realidade poderia ser.

Ainda segundo Freud, a vida humana é repleta de campos motivacionais, mas todos estão interligados à duas matrizes principais, a origem de tudo, que é o SEXO e a MALDADE.

Antes de entender esta afirmação como cruel, entenda que já fomos amebas e hoje somos apenas um maravilhoso resultado de um avanço evolutivo de milhões de anos, mas que guardamos nossos registros originais de toda esta trajetória, desde as amebas.

O que existe em comum entre todas as espécies vivas é a sua construção mais primitiva, que está ligada à REPRODUÇÃO e à COMPETIÇÃO.

Isto demonstra que nossos motivos podem se tornar nobres, mas todos eles estão profundamente ligados a REPRODUZIR e SOBREVIVER.

A reprodução se edificou através de nossa sexualidade, no instinto de perpetuar nossa existência, o que provoca estímulos poderosos de vontade reprodutiva.

A competição estabeleceu nosso potencial de superar e eliminar competidores em todas as nossas cadeias vivas.

A começar pelos espermatozoides, onde bilhões perecem em detrimento de um único que consegue superar todos os obstáculos e se estabelecer no óvulo.

Freud deu nome a estes 2 princípios motivacionais básicos:

  • EROS: Instinto sexual de propagação e manutenção da vida;
  • THANATOS: Instinto da competitividade e da agressão, a morte.

Todos os nossos impulsos, que originam nossa motivação, estão ligados, portanto, a sexo e competição.

Não se trata de concordar, trata-se de aceitar, pois a realidade não depende de nossa concordância para existir e acontecer.

A questão básica é que quanto antes entendermos e aceitarmos esta realidade sobre nosso funcionamento, antes conseguiremos acessar nossas ferramentas profundas de autocontrole, que é o único elemento capaz de transformar nossa realidade.

O bem e o mal são a nossa essência, como no caso dos 2 lobos, o do bem e o do mal, que habitam todos nós.

Não podemos nos livrar deles, mas podemos escolher qual alimentamos.

Freud dizia que

“o Ser Humano é essencialmente mal. Não exercer esta maldade é um esforço, que exige controle. A educação, o conhecimento e o medo, são as únicas formas de controlar este poder.”

3 – Perspectiva behaviorista:

Behavior é uma palavra inglesa, que traduzida para o português, significa comportamento.

O ser humano entende universalmente 2 linguagens de aprendizado: mais amor e menos dor.

Isso determina que nossas ações se movem na direção do prazer (mais amor) ou de evitar o sofrimento (menos dor).

Estes são os motivos de nossa corrida, ou para nos aproximarmos do que nos dá prazer ou para fugirmos do que nos provoca dor.

O psicólogo John Watson acreditava que tudo poderia ser construído psicologicamente a partir de treinamento.

Acreditava que poderia pegar uma criança com 2 anos de idade e transformá-la no que ele quisesse, desde médico, professor, advogado, costureiro, qualquer coisa.

Não foi possível provar esta teoria, mas seus conceitos são bem prováveis e a tese encontra muitos adeptos no universo da psicologia.

O que é o ciclo de motivação:

A motivação segundo a pirâmide de Maslow
Maslow explica em seus estudos como funciona cada patamar da pirâmide da motivação

Motivação é um combustível e mesmo nesta condição, não significa que termine ou que não possa ser carregado.

Num mergulho profundo no estudo da motivação, o psicólogo americano Abraham Maslow (1908-1970) desenvolveu um trabalho denominado HIERARQUIA DAS NECESSIDADES, que seriam os elementos que movem a motivação em sua essência.

Os elementos de necessidades humanas são os construtores do ciclo motivacional.

Ele atua no sentido de atender estas premissas e se renova constantemente na busca desta satisfação, por isto é compreendido como um ciclo.

Segundo Maslow, as necessidades podem ser posicionadas em grupos de elementos indispensáveis para a satisfação humana e a felicidade depende diretamente do atendimento completo destes requisitos.

A perspectiva de Maslow define a capacidade de acionar e manter o ciclo motivacional como o “aparelho motivacional” das pessoas.

As necessidades fisiológicas das pessoas:

Este grupo de necessidades está ligado à sobrevivência fundamental, definindo que as pessoas precisam estar vivas, com saúde e preparadas para enfrentar os desafios do dia-a-dia.

Os principais componentes deste grupo são alimentos, roupas, descanso, moradia e condições de saúde.

Estas necessidades foram criando uma própria hierarquia através dos tempos, onde comer, por exemplo, é uma necessidade vital, mas mesmo dentro deste segmento, você pode conseguir diversos tipos de comida, da mais simples até as mais sofisticadas.

Esta escala também é ponto de comparação entre as pessoas, e potencial elemento de motivação, ou não.

Você pode conseguir roupas, mas talvez prefira, além disto, estar na moda.

Você pode descansar, deitando no chão e simplesmente dormindo, o que é necessário, mas também pode tirar férias nas Maldivas.

É possível morar numa caverna, ou sob um viaduto, ou ainda, habitar uma mansão num bairro nobre qualquer.

Você pode ter uma boa saúde e nunca necessitar de apoio médico, mas mesmo assim, também pode ter um amplo e completo plano de saúde para quando necessitar.

Todos os patamares também funcionam como aspecto motivacional, no sentido de melhorar, o que também pode ser fonte de estresse, por não conseguir conquistar.

As necessidades de segurança:

Toda pessoa precisa estar e se sentir segura, não apenas em relação à sua segurança física, que é vital, mas também segurança no trabalho, de recursos, de moralidade, família, saúde e propriedade.

A necessidade de ter, sentir e perceber afeto:

Este grupo de necessidades está associado ao amor e aos aspectos de relacionamento pessoal.

Envolve nossa sexualidade e, a partir dela, nossa família e nossas amizades.

Construir relações sólidas de amizade, elaborar e manter uma relação familiar afetuosa e sadia e construir padrões equilibrados para a sua sexualidade, são pontos fundamentais para manter aceitáveis níveis de motivação.

As necessidades de autoestima:

É preciso gostar de si, pois isto mantém acesa nossa confiança, que alimenta nossas conquistas e nos proporciona reconhecimento e respeito, o que é básico para nossa estruturação social.

As nossas necessidades de autorrealização:

Este é o topo da pirâmide das necessidades de Maslow e, segundo o estudo, se estabelece acima e depois de todas as outras.

A autorrealização envolve moralidade, criatividade, espontaneidade, capacidade de solução de problemas, diversidade e autoaceitação.

Precisamos viver em princípios morais que não nos agridam, exercer nossa capacidade de sermos espontâneos e não precisar ficar interpretando personagens.

Liberar e dar vazão à nossa criatividade, exercendo nosso potencial solucionador, aceitando e convivendo com a diversidade e criando uma forma de vida condizente com o que julgamos aceitável, para nós mesmos e diante da sociedade.

O ciclo motivacional:

O Ciclo Motivacional
O Ciclo Motivacional começa com uma necessidade, requer um esforço, resultando em uma conquista que serve como recompensa. O Ciclo é interminável e é exatamente o que chamamos de automotivação.

Tudo parte de uma NECESSIDADE, que depois de definida, compreende um ESFORÇO para sua realização.

Com o emprego do esforço adequado e na direção correta, vem a CONQUISTA, que por sua vez, proporciona a RECOMPENSA.

O perfeito funcionamento deste ciclo resulta em felicidade e esta é a recompensa maior.

Embora seja possível não realizar a conquista, por uma série de fatores, quase sempre voltados à falta de preparação e isto gera frustração em diversos níveis.

A conquista e a recompensa alimentam o ciclo motivacional, enquanto a frustração abala seus princípios.

Portanto, MOTIVAÇÃO é resultado de ações bem-sucedidas, enquanto a FALTA DE MOTIVAÇÃO está associada diretamente à frustração contínua, o que não renova o ciclo motivacional.

10 passos para manter a motivação pessoal:

Manter a motivação pessoal
Motivação é autoconfiança

Motivação é responsabilidade de cada um, nasce em cada indivíduo e já estará ali quando necessitarmos.

É incontestável o nível de motivação de uma criança para fazer aquilo que ela gosta de fazer, mas é sensível a diminuição destes níveis com o passar do tempo.

A motivação é uma responsabilidade de cada um e se você percebe que seus níveis motivacionais estão baixos e insuficientes, é seu dever e obrigação encontrar as causas e corrigir o problema.

De qualquer forma, resolvemos alinhar 10 dicas de como entender seus níveis de motivação pessoal e, a partir disto, conseguir atuar de forma direta na renovação de seu ciclo motivacional.

1 – Entenda e pratique o funcionamento do ciclo motivacional:

Se você for agora a um psicólogo para trabalhar seus problemas motivacionais, independente do perfil deste profissional, fatalmente ele irá levar você a um passeio através da PIRÂMIDE DE MASLOW e do CICLO MOTIVACIONAL.

Claro que estes serão adaptados à sua realidade, para entender se tudo está funcionando naturalmente.

Uma vez que qualquer problema de motivação está ligado à qualidade de funcionamento de seu ciclo motivacional, bastando identificar a anomalia para chegar à melhoria.

Para compreender sua realidade de forma orientada pela classificação de suas necessidades, provavelmente você terá que responder perguntas como:

  • Você se alimenta bem?
  • Você está feliz com sua apresentação e forma de vestir?
  • Você acha que descansa razoavelmente ou se sente sempre cansado?
  • Você está feliz com o lugar e as condições em que mora?
  • Você acredita que está em boas condições gerais de saúde?
  • Você diria que se sente seguro?
  • Você acredita que tem tudo o que precisa para viver?
  • Você se sente bem do ponto de vista moral?
  • Você entende que sua família e sua propriedade estão seguras?
  • Você diria que está bem do ponto de vista afetivo?
  • Você julga que sua sexualidade é fator de alegria e plenitude, ou sente carências?
  • Você gosta de você?
  • Você definiria seus níveis de confiança como normais?
  • Você acha que vem tendo bons níveis de conquistas?
  • Você diria que é uma pessoa respeitada?
  • Você possui senso de autorrealização?
  • Você considera seu senso de moralidade adequado ou seus pensamentos morais o incomodam?
  • Você diria que possui um bom nível de criatividade?
  • Você se julga espontâneo ou tem que interpretar papéis?
  • Você diria que possui uma boa capacidade de solucionar problemas?
  • Você convive com alguma espécie de preconceito?
  • Você se sente aceito e importante em seu meio social?

Provavelmente você irá se surpreender com a quantidade de respostas negativas à muitas destas perguntas e perceberá que se manter motivado é um esforço importante e representativo.

O bom em tudo isto é estar na direção correta, poder parar de vagar e flutuar a esmo indefinidamente, apenas experimentando a sensação de frustração, sem sequer saber como melhorar sua condição.

Conheça e exercite o ciclo motivacional com consciência:

Manter foco no ciclo motivacional e fazer com que ele permaneça alimentado é a forma de se revitalizar sempre e obter a motivação necessária no momento que necessitar.

Na verdade, sempre necessitamos de motivação, para tudo, e o ciclo motivacional é a única forma de mantermos o tanque de reserva abastecido.

Ele é capaz de nos fornecer o combustível valioso, sempre que necessitarmos dele.

2 – Mantenha ativo seu mecanismo de autoconfiança:

A melhor forma de manter elevados níveis de autoconfiança é se proteger de análises, julgamentos, opiniões negativas e elementos externos que tenham poder de minar sua crença em você mesmo.

Tenha convicção do que você realmente é e representa e não permita que análises críticas infundadas e superficiais abalem o seu precioso espírito de confiança.

3 – Atitude positiva:

Você escolhe a forma como quer se posicionar diante de tudo na vida.

Escolha sempre uma postura positiva, um viés de positividade diante de todos os cenários e você estará desenhando mentalmente seu caminho, inclusive, diante das dificuldades e desafios.

4 – Não desista, se mantenha persistente e persevere:

Mesmo que muitos acreditem que você irá desistir, siga em frente, mantenha o foco, corrija o rumo quando necessário, mas aprenda a descansar, não a desistir e continue adiante, perseverando e conquistando novos objetivos em sua caminhada, todos os dias.

Siga sempre na direção do seu sonho, sem esmorecer.

5 – Mantenha funcional e ativa a sua máquina de aprender:

O mundo passa por transformações contínuas a todo momento e isto modifica os cenários quase que instantaneamente.

Provavelmente você não vai querer ser pego no cenário de Jurassic Park utilizando figurino de Guerra nas Estrelas.

Esteja atento e pronto a aprender e se adaptar, sempre, sobretudo, focado em perceber mudanças e alterações, para que possa encontrar sintonia permanente com a realidade.

Compreenda que os obstáculos que atravessam seu caminho são problemas, mas eles exigem soluções e o caminho na descoberta das alternativas é o aprendizado para superar os novos desafios.

Aprenda sempre.

6 – Construa ambientes felizes:

Tudo é derivado de escolhas, inclusive entre o bem e o mal e você pode definir do que quer se cercar.

Pessoas são reflexos de comportamentos e sua atitude pode definir diretamente como será a postura e comportamento das pessoas que estão à sua volta.

Você também pode escolher os ambientes onde quer se inserir e, portanto, prefira os ambientes alegres, saudáveis, positivos e renuncie ao peso de ter que doar sua energia positiva sem receber energia igual em troca.

7 – Atitude solucionadora:

Seja uma fábrica de soluções, daquelas que se alimentam de problemas, que quando os problemas chegam até ela sejam imediatamente consumidos e transformados por sua atitude.

Esteja ligado à solução e faça com que os problemas sejam apenas os desafios para os quais você está preparado para lutar.

8 – Se acostume a planejar e definir objetivos:

Defina o seu destino com antecipação, estabelecendo metas plausíveis e que você tenha condições de conquistar, avançando sempre, mesmo que um pouco de cada vez, pois com o tempo, você terá chegado longe e sentirá satisfação por isto.

Acompanhe seu desempenho, defina indicadores que vão apontar suas conquistas e esteja pronto a seguir com disciplina atrás de seus objetivos.

9 – Mantenha sua saúde e sua forma física em dia:

Seu corpo é o veículo que te transporta e que é responsável por suas realizações, além de carregar sua mente, que em essência, é você em sua forma mais pura.

Cuide de sua saúde, mantenha hábitos saudáveis, fuja dos excessos, entenda que o futuro vai cobrar a forma como você cuida de você mesmo no presente e seu estado de ânimo está diretamente ligado ao seu condicionamento físico.

Se sentir cansado é uma defesa de um organismo mal preparado, física e mentalmente.

10 – Valorize e comemore suas conquistas:

Mantenha o hábito de valorizar suas conquistas, pois assim, você manda um sinal importante para o seu psicológico, determinando que ele fique feliz, pois merece.

Não hesite em se recompensar, comprando um mimo, se presenteando com algo, realmente simbolizando sua alegria pela vitória, já que a frustração da derrota não precisa de esforço para aparecer, saiba compensar isto.

10 passos para manter a motivação profissional:

Manter a motivação profissional
Pilote o seu dinossauro interior

Você passa um terço de sua vida no ambiente profissional e lá costuma ser uma selva competitiva.

Isto pode ser visto de 2 formas, a positiva e a negativa.

A negativa está associada ao medo, que também é uma ferramenta de defesa, mas a positiva está associada à motivação, pois competir está em nossa essência desde espermatozoides.

Assumir determinada posição profissional, por mais simples que seja, sempre será um fator comparativo, pois existirão outros em igual posição que você, sobre os quais existirá esta comparação e isto gera uma natural disputa.

Muitos fatores do ambiente profissional não estão sob nosso exclusivo controle e dependem de uma série de variáveis, inclusive dos outros, exatamente com quem estaremos competindo.

Existem alguns outros fatores que podemos controlar e, quando conseguimos, seus resultados acabam interferindo nos fatores externos, que não estão sob nosso controle, modificando para melhor nosso ambiente e condições profissionais.

1 – Redes de relacionamentos:

Manter sólidas e consistentes redes de relacionamento, baseadas na verdade, na sinceridade e confiança é o elemento mais importante na construção de ambientes profissionais positivos.

Numa selva competitiva, conseguir montar grupos de interesses mútuos, onde se pratique um patamar mínimo de confiança, é base sólida para construção da felicidade profissional, onde todos se ajudam e servem de apoio, uns aos outros, para a realização dos objetivos.

É bom para as pessoas e, o que é bom para pessoas é bom para as empresas.

2 – Seja generoso com seus conhecimentos:

Não economize ensinamentos que estão ao seu alcance, atuando com a perspectiva de ser visto como generoso, que compartilha seu conhecimento e melhora a condição das pessoas.

Você começa a ser percebido como valioso pelas outras pessoas e elas saberão valorizar e recompensar isto.

3 – Construa um currículo e um histórico vencedor:

Mantenha o costume de aprender sempre, de se aprimorar, de agregar novas habilidades, de se tornar dinâmico e estabeleça registros destas conquistas, construindo um portfólio profissional valioso e reconhecido.

Pessoas se orgulham de colecionar selos, joias, tampas de garrafa, diversas quinquilharias, pois então, colecione habilidades e diferenciais e faça de seu currículo o seu “álbum de figurinhas”.

5 – Fique ligado no topo:

Mantenha um olhar observador sobre o que acontece no topo de sua profissão e de seu segmento.

Descubra o que as pessoas que estão vencendo e se destacando estão fazendo e não tenha pudores em imitar, em descobrir o seu jeito particular de fazer igual.

Se possível, interaja com estes líderes, pois eles já chegaram lá e entendem o princípio do compartilhamento, se você merecer, eles vão te ajudar.

5 – Treine a organização:

Construa o saudável e importante hábito da organização.

Tempo é o elemento mais precioso que você tem a seu controle e entenda a importância de valorizar este elemento de valor.

A organização é o caminho de racionalização do tempo em relação à sua atividade, resultando nos seus níveis de produtividade e aprimorando seus resultados.

Não sobrecarregue desnecessariamente sua memória, se você pode usar agendas e organizadores para realizar estes controles programáticos.

Se organize e mantenha seu ambiente profissional adequado à produtividade.

6 – Diga não à procrastinação:

Desafie e vença este poderoso inimigo interno, um dos mais comprometedores do desempenho humano.

Entenda os princípios da procrastinação, como ela se manifesta e o que você pode fazer para vencer este poderoso combatente do mal.

Construa ambientes produtivos, livres dos pontos de fuga de concentração e se dedique a cumprir com seus compromissos, respeitando o tempo e acelerando sua produtividade.

7 – Treine foco e concentração:

As flechas são poucas e, portanto, tenha a convicção da pontaria antes de dispará-las.

Crie o costume de treinar sua concentração, fugindo dos pontos de fuga de sua atenção e aprimorando o foco no que realmente é importante, deixando de lado o que é superficial.

8 – Escolha projetos desafiadores, mas que recompensem e satisfaçam:

Já que teremos que passar um terço de nossa vida (às vezes mais) no ambiente profissional, escolha e se dedique a algo que você realmente gosta de fazer e possui habilidade para tal.

Não é fácil e ninguém disse que seria.

Nascer não é fácil e, depois disto, tudo é parte de um grande desafio, por vezes doloroso, mas que está pronto a trazer recompensas maravilhosas.

Entenda do que realmente gosta e vá atrás.

9 – Tenha hábitos campeões:

Hábitos são muito mais poderosos que a disciplina.

Aliás, a disciplina só existe para te obrigar a fazer aquilo que você não tem o hábito de fazer.

Se é um hábito fazer determinada ação, então você já faz e não precisa de disciplina para isto.

Defina o que é importante e que pode levar você ao sucesso e faça disto um hábito.

10 – Respeite seus compromissos e prazos:

As pessoas nutrem expectativas sobre você, desde o momento em que você se apresenta, afirmando que é maravilhoso e capaz de tudo.

Respeite a esperança e confiança que as pessoas e o mundo depositam em você e seja cuidadoso com o cumprimento de suas tarefas e prazos.

Seja reconhecido por ser pontual (e não o contrário), por respeitar o seu tempo e o dos outros (e não o contrário), por ser organizado (e não o contrário).

Você é responsável por sua motivação:

Motivação é sobrevivência
É impossível viver sem motivação

Motivação é um combustível natural absolutamente necessário para qualquer um e, mais importante, deve vir embutido no produto.

Quando nos apresentamos para um trabalho, por exemplo, entregamos um currículo de sonhos, que fala maravilhas a nosso respeito.

Mas quando somos contratados, as empresas precisam investir quase 20% de nossa remuneração em ações e dinâmicas motivacionais, pois aquelas pessoas maravilhosas, aquelas Ferrari, simplesmente ficam sem combustível frequentemente.

As empresas não estão mais dispostas a investir em motivação, pois começa a surgir o senso comum de que esta é uma obrigação do profissional moderno.

Que além de possuir as habilidades necessárias, precisa estar em condições de entregar o seu perfil em perfeito funcionamento operacional, onde a capacidade de realização é a maior de todas as qualidades.

Entenda que as empresas estão deixando de pagar as pessoas pelo seu trabalho, estão passando a remunerar (e bem), pelo RESULTADO do trabalho e isto só tende a crescer, com níveis elevados de participação nos resultados globais.

Independente de ser no ambiente pessoal ou profissional, estar em motivação plena é uma necessidade para encontrar razões de seguir em frente, de reconhecer e exercitar a felicidade.

É estabelecer escolhas produtivas, eficazes e condizentes com o grau de inteligência de seres tão maravilhosos e complexos como são as pessoas.

Seja humano, seja feliz, encontre motivos e parta para a ação, construindo a sua própria motivação e sendo a figura envolvente que todos querem ter por perto.

Só depende de você!


Caio Vinicius

Analista de TI. Apaixonado por Desenvolvimento Pessoal, livros, psicologia e comportamento humano. Viciado em aprender. Acredito que conhecimento seguido de ações é o único caminho para transformar a sua vida.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *