fbpx
Seja para uma apresentação, conversa com amigos ou para evitar a DR do mês, é importante usar a comunicação eficaz.

Seja para uma apresentação, conversa com amigos ou para evitar a DR do mês, é importante usar a comunicação eficaz.

Comunicação eficaz é algo simples.

É simples quando você tem completo domínio das técnicas. Por exemplo, ao longo do artigo vou te mostrar o exemplo de uma pessoa falando com extrema comunicação eficaz.

Se você conseguir chegar nesse nível, tenho certeza que terá muitos benefícios em sua vida pessoal, profissional e, também, amorosa.

Comunicação eficaz é não deixar arestas…

É não deixar pontas soltas. Sabe quando você está conversando com alguém e precisa falar algo que sabe que pode magoar? Pois bem, às vezes não falamos para não magoar, mas esquecemos que as consequências de “não falar” são até piores.

Então guarde essa dica importante: comunicação eficaz é falar o que é preciso mesmo que você não queira.

Porém, se sair falando tudo que pensa, terá problemas.

Por esse motivo, te trago o primeiro tópico da comunicação eficaz. Ele é relacionamento com seu interlocutor, a pessoa com quem você fala. E é importante para você passar a melhor mensagem da forma mais eficaz possível.

Sabe o quão diferente precisa ser a comunicação com uma criança de 5 anos e um adulto de 35?

A mesma que entre dois adultos de 35…

É a mesma diferença de um adulto cinestésico de 35 para um adulto visual de 35 (você já vai entender esses termos). Mas sei que fica mais fácil entender com o exemplo da criança.

Sempre que for ministrar uma palestra, apresentação ou mesmo conversar com seus amigos, lembre-se disso: se você não adequar sua comunicação eficaz, então será o mesmo que explicar física quântica para uma criança e um adulto (com a mesma linguagem).

#1. Você Usa Empatia na Comunicação Eficaz?

Comunicação eficaz envolve, também, aprender a não julgar o pensamento do outro e a respeitar mesmo discordando.

Comunicação eficaz envolve, também, aprender a não julgar o pensamento do outro e a respeitar mesmo discordando.

Empatia é entender o outro.

É se colocar na posição do outro para entender seu ponto de vista e modo de pensar. Não significa concordar e também não significa gostar, mas apenas “entender”.

Por exemplo, vamos supor que você está na fila do Subway e, de repente, alguém entra na sua frente. Para você, claramente essa pessoa furou a fila…

Então você tem duas opções.

  • “Ei, filho duma vaca, saia daqui!”

ou

  • “Ei, você está voltando?”

É interessante que não tem nada haver com o outro, mas sim com você.

Quando você supõe que todo mundo está fazendo algo errado, então sua realidade se torna nociva e perigosa (aprenda a ser positivo!). Você acha que todos querem te enganar e que o mundo está contra você. Nesse caso, essa é a primeira opção, quando você já começa xingando o outro…

Mas e a segunda opção?

A segunda opção não é “paz e amor” nem se colocar em segundo lugar, é simplesmente assumir que todos pensam no próprio benefício (o que não significa prejudicar os outros).

Talvez a pessoa que tenha entrado na sua frente tenha saído por 10 segundos e você não tenha notado e, pior ainda, talvez ela tenha ficado constrangida e, por isso, não falou nada (ela talvez não tenha uma boa comunicação eficaz).

Isso será analisado melhor no tópico 3…

#2. Você é Assertivo e Evita Ser Prolixo?

Já viu alguma apresentação ou palestra em que o apresentador, simplesmente, não conseguia chamar sua atenção? É isso que vou te ajudar a evitar neste artigo.

Já viu alguma apresentação ou palestra em que o apresentador, simplesmente, não conseguia chamar sua atenção? É isso que vou te ajudar a evitar neste artigo.

Vamos continuar usando o exemplo do Subway.

Percebeu como a frase do tópico anterior foi direito ao ponto? “Você está voltando?” já demonstra, implicitamente, a pergunta “você tem o direito de estar aí?”.

A assertividade é, muitas vezes, vista como agressividade na comunicação eficaz. Seu objetivo é unir tudo ensinado neste artigo para atingir a comunicação perfeita com seu público (sem ser agressivo).

  • – “Ahh, oi. Tudo bem? Eu sou o Tarcísio. Qual seu nome?
  • – “Bruno”
  • – “Ahh, oi Bruno. Nome legal. Olha, é que eu tava aqui na fila e não tenho certeza se entendi bem, mas você estava aqui antes de mim? Eu não vi. Não tô querendo dizer que você furou a fila, mas é que eu não tenho certeza.”

Percebe que chato essa conversa acima?

Essa NÃO É uma comunicação eficaz. É uma comunicação imprecisa e defensiva. Você tem um objetivo, que é saber se o Bruno furou a fila, e leva uma eternidade para atingir ele.

É como se alguém tivesse colocado a mão no seu bolso, levado a sua carteira e você ficasse pedindo desculpa por incomodar em perguntar.

A forma correta é sendo honesto mas sem magoar.

Você precisa deixar clara a sua intenção e respeitar seu espaço pessoal. Se o Bruno entrou na sua frente no Subway e você acha que ele está furando a fila, então você precisa respeitar seu espaço. Para fazer isso, aborde-o com uma comunicação eficaz e seja claro.

Para não causar uma briga, use a CNV (próximo tópico).

#3. Você Conhece Comunicação Não Violenta?

Lembrete: não é somente presencialmente que nos comunicamos.

Lembrete: não é somente presencialmente que nos comunicamos.

Antes de te explicar, vou te pedir algo.

Assista o vídeo abaixo, da Monja Coen. Ela sabe falar em público usando a comunicação eficaz junto com uma comunicação não violenta muito boa.

É incrível o nível de dicção e respeito que ela tem pelo interlocutor. Observe, pausadamente, como que ela fala e, principalmente, o que ela fala.

Como lidar com a agressividade? | Monja Coen | Zen Budismo
Watch this video on YouTube.

Okay, agora vamos aos princípios da CNV (Comunicação Não Violenta).

A CNV iniciou com os estudos do Marshall Bertram Rosenberg e tem um livro com mesmo nome de 2006. Basicamente, o autor explica que fazemos muito juízo de valor (análise moral) do outro e acabamos por querer que ele seja punido ou desmascarado.

Isso gera sentimentos (para quem não controla a mente) ruins em nós mesmos e pode gerar uma péssima comunicação eficaz.

Por exemplo, o livro distingue “observação” de “juízo de valor”.

Se você pensar no Subway, existe a “observação de que uma pessoa entrou na sua frente na fila”. E também existe o “juízo de valor de que uma pessoa furou a sua frente na fila.

A diferença é bem simples: no segundo caso você supõe as intenções do outro e cria todo um emaranhado de pensamentos negativos antes da abordagem.

Não vou entrar no assunto, mas vou te dar uma dica de ouro.

Quando for falar com alguém e você sentir que precisa usar uma comunicação eficaz que possa magoar, pense como outra pessoa falaria isso se você explicasse a situação a ela.

Deixa explicar: se você contar tudo pra Raquel sobre o Bruno (do Subway), como ela falaria com o Bruno, já que não está imersa em sentimentos e julgamentos?

Cuidado em respeitar o outro e cuidar da sua saúde mental.

O próximo passo é sobre você entender e entrar no mundo e na forma como o outro se comunica.

Cada pessoa desenvolve uma forma de processar os pensamentos e, se você usar uma forma diferente da que a pessoa fala, é a mesma coisa que usar Libras para falar com cegos.

#4. Você Sabe Qual Língua o Outro Fala?

Usar a língua sensorial errada é como falar espanhol com quem nunca estudou: sim, vai dar para entender, mas vai ficar bastante “falho”.

Usar a língua sensorial errada é como falar espanhol com quem nunca estudou: sim, vai dar para entender, mas vai ficar bastante “falho”.

Segundo a Programação Neuro Linguística, existem 4 línguas.

As línguas são Visual, Auditiva, Cinestésica e Digital. Visual e auditivas são simples de entender, basta você usar exemplos envolvendo os órgãos da visão e audição, respectivamente.

Cinestésicos tem conexão com os sentidos do Tato, Paladar, Olfato e sentimentos internos. Os digitais são relacionados a pessoas que processam as informações de modo lento, mas com precisão.

Deixa dar um exemplo para ficar mais claro…

  • “Você lembra daquele dia ensolarado que fomos na praia da Barreira que você tirou aquela foto com os pés na água?”
  • “Você lembra daquele dia barulhento no restaurante que fomos na praia da Barreira que você foi colocar os pés na água para ficar em silêncio?”
  • “Você lembra daquele dia quentíssimo que fomos na praia da Barreira e ficamos perto da cozinha do restaurante com cheiro de pastel?”
  • “Você lembra daquele sábado à tarde que fomos na praia da Barreira que você ficou surpreso com os preços do local?”

É a mesma frase e mesma experiência mas palavras diferentes.

Pode parecer pouco, mas isso muda tudo na comunicação. Um visual vai lembrar do sol reluzente e brilhoso no rosto enquanto que o auditivo lembrará dos ruídos e sons que estavam no ambiente.

O cinestésico lembrará das sensações que teve, do que comeu ou cheirou. O digital lembrará de informações e pensamentos que teve, bem como do que aprendeu.

Aprenda a identificar a linguagem do outro.

#5. Você Evolui Sua Comunicação Eficaz Diariamente?

São pequenas bolhas de sabedoria e contemplação que nos ajudam, diariamente, com nossa evolução.

São pequenas bolhas de sabedoria e contemplação que nos ajudam, diariamente, com nossa evolução.

Por fim, para continuar se desenvolvendo e usando a comunicação eficaz, é preciso Evoluir diariamente.

Sei que parece um processo difícil e complicado, mas assim como uma boa comunicação eficaz, o autoconhecimento e desenvolvimento pessoal são pilares essenciais se você quiser ser alguém melhor na vida (e mais feliz).

Por esse motivo, te convido para o Alô, Evolução.

Aqui vou te mandar, na medida certa, pequenas melhoras para sua vida em todos os aspectos que você precisa.

Meu objetivo é te mostrar que a vida é muito mais que pagar boletos e se preocupar com uma comunicação eficaz, mas também é encontrar uma missão de vida e uma forma de ser feliz com resiliência emocional.

Para isso, basta se inscrever abaixo!


Caio Vinicius

Analista de TI. Apaixonado por Desenvolvimento Pessoal, livros, psicologia e comportamento humano. Viciado em aprender. Acredito que conhecimento seguido de ações é o único caminho para transformar a sua vida.

2 comentários

Lee · 28 de dezembro de 2019 às 13:09

Curti o artigo, bem explicado, mas acho que faltou a sugestão de dizer talvez ” qual seria o melhor ” , julgando uma melhor comunicação….

    Caio Vinicius · 30 de dezembro de 2019 às 09:31

    Lee, mais uma vez quero agradece-lo por nos acompanhar. Agradeço muito pelo feedback e quero dizer que o fato de você levantar sugestões ou questões das quais não abordamos nos artigos, nos fornece a visão de como podemos deixar os nossos conteúdos ainda mais completos. Ou seja, muito em breve provavelmente, teremos uma atualização nesse artigo.

    Sem mencionar que os seus comentários e colocações enriquecem e muito o debate e aprendizado de todos nós.

    Gratidão

    Kako

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *