Furando a própria canoa
Auto sabotagem é atirar no próprio pé

Auto sabotagem é tudo aquilo que caminha no sentido contrário de nosso desenvolvimento, nosso sucesso e nossa felicidade.

É algo que parte de nós mesmos, contrariando o sentido natural de nossos esforços.

Auto sabotagem é uma autodestruição não premeditada, que acontece quando perdemos o foco de nossos objetivos e um desequilíbrio emocional e psicológico suprime nosso controle, no todo ou em parte.

Abrindo brechas para atitudes próprias, que interferem, negativamente, no nosso desempenho pessoal e social.

Não existe uma placa de auto sabotagem pendurada no pescoço de cada um, mas é possível entender alguns sinais que, em maior ou menor proporção, demonstram um certo nível de auto sabotagem.

Comer demais, beber demais, dormir demais, fumar, usar drogas, dependência de remédios, procrastinação, ser irresponsável, não ser pontual, não ser higiênico.

Existem milhares de formas cotidianas de auto sabotagem, que todos nós praticamos, de alguma maneira, em alguma proporção.

O problema são os excessos.

Todo excesso é a manifestação de um problema.

A auto sabotagem acontece por ação ou omissão, pois podemos dar aquela corrida no final de tarde, ou não e, se houver algum excesso negativo no processo, é uma espécie de auto sabotagem.

Possivelmente você se interessou por este tema porque já percebeu sinais de auto sabotagem em sua vida e acredite, fez muito bem em estar aqui.

Nossa proposta é esclarecer estes sinais, as características de quando os hábitos comuns começam a ganhar dimensão de excessos e, por suas características, estes excessos assumem um potencial de auto sabotagem.

Onde nasce e quais as origens da auto sabotagem:

Raízes Profundas
Auto sabotagem vem do tempo das cavernas

Auto sabotagem vem das profundezas de nosso código genético.

Auto sabotagem não nasce de uma hora para outra, porque já está lá, em nossos registros hereditários, consequência de nosso processo evolutivo e apenas é disparada pelo acionamento de algum gatilho.

Destes tantos que disparam nossos impulsos, gerando estímulos, que provocam comportamentos, que nos levam a ações (ou inações), que produzem suas consequências e resultados.

A percepção mais normal que existe sobre a auto sabotagem é que alguém, ao notar que pratica algum tipo de movimento ou processo que pode levar à auto sabotagem, entenda que aquilo é algo fora do padrão e que é prejudicial, mas também imagina que não possui controle sobre esta ação.

Na verdade, tudo o que acontece em nós, possui um princípio hereditário.

Nossa carga genética traz registros de nosso histórico antepassado e está guardado ali a partir de nossas experiências de sobrevivência, desenvolvimento e evolução.

Antes de reclamar sobre sua tendência a engordar, saiba que esta característica é biológica e, a maioria das pessoas, está programada a reduzir a velocidade do metabolismo, tão logo saia da idade da caça, onde o organismo comece a entrar na curva descendente de sua jornada biológica.

E com esta redução, acontece um acúmulo de gordura no organismo, o que o corpo entende como reserva energética, estabelecendo este ciclo como proteção e preparação para o futuro.

Tudo em nós funciona por princípios parecidos e não temos controle sobre a maior parte deste ciclo.

O IMPULSO, o ESTÍMULO, e o GATILHO, acontecem no campo do subconsciente, onde não temos controle, apenas o COMPORTAMENTO e a AÇÃO acontecem no campo do consciente, onde podemos controlar.

Em resumo, se não conseguimos controlar nossos IMPULSOS, que são instintivos e inconscientes, podemos controlar nossos COMPORTAMENTOS, que são conscientes e estão sob nosso domínio racional.

Os nossos registros genéticos estão ligados à sobrevivência e nossos instintos primordiais, que vêm sendo moldados desde bilhões de anos atrás, carregando experiências como caçar, fugir, reproduzir, lutar pela sobrevivência desde suas formas mais primitivas.

A preguiça existe porque o organismo criou sensações agradáveis no ócio, ele fazia com que saíssemos pouco das cavernas, apenas o essencial, diminuindo nossa exposição aos perigos daqueles tempos.

A gula existe, para que pudéssemos estar programados para consumir a maior quantidade de alimentos, sempre que tivéssemos oportunidade, pois não tínhamos certeza de quando poderíamos comer novamente.

A luxúria existe porque nosso senso reprodutivo é intenso e estamos programados para proliferar nossa genética através da competitividade da evolução.

A ira se explica como energético das batalhas, necessária para aplacar o medo, a partir da irresponsabilidade irracional do momento.

A avareza se explica pelo instinto próprio de poupar e guardar apenas para si os recursos tão valiosos para a sobrevivência.

A inveja nasce do desejo individual de melhorar e a referência, logicamente, são os outros, aqueles considerados iguais, que em iguais condições, conquistaram maior sucesso na vida.

A vaidade nasce do senso de destaque e aceitação social.

Citamos a relação conhecida como os 7 pecados capitais, sem nenhum viés religioso ou exotérico, todos eles são produtos de nossa evolução e estão presentes em todas as espécies medianamente evoluídas.

Todos os mamíferos, por exemplo, apresentam estas características de personalidade, com os humanos não é diferente, a única diferença é que nós temos consciência disto ou, ao menos, deveríamos ter.

Ser egoísta pode parecer algo detestável, mas acredite, os que pegaram os poucos paraquedas primeiro e pularam do avião em chamas, foram os que sobreviveram.

A verdade é que não controlamos o que está em nosso subconsciente, até por isto ele tem este nome, significando que SUB (está fora) CONSCIENTE (do conhecimento) e, se eu não conheço, eu não domino.

A origem de nossos comportamentos está em nosso subconsciente, que ocupa 85% de todo o nosso intelecto, onde apenas 15% compõem o nosso consciente, onde possuímos controle.

Os registros estão lá, adormecidos e, eventualmente a maioria nunca desperta, pois o mundo mudou e muitas de nossas programações jamais são usadas, pois já não habitamos cavernas ou nos deparamos com feras ameaçadoras.

Ocorre que em determinadas situações, gatilhos, que podem ser externos, acionam certos registros genéticos que, acionados, geram impulsos, que provocam estímulos, que geram comportamentos, que trazem ações que provocam consequências e resultados, bons ou ruins.

Nunca é demais repetir que somente os COMPORTAMENTOS e as AÇÕES estão sob nosso controle e é aí que devemos atuar.

Auto sabotagem não tem cura, tem controle:

Uma Luta Solitária
É uma batalha de um homem só a que todo mundo enfrenta contra a auto sabotagem

Auto sabotagem é um comportamento e, portanto, tem origem em estímulos, que partem de impulsos disparados por gatilhos, significando que não tem cura, pois está instalada, como tantas outras de nossas características comportamentais.

Por ser um comportamento, auto sabotagem tem controle e é isto que devemos aprender.

Instintos reprodutivos aceleram o sistema límbico e provocam desejos sexuais.

Normalmente isto ocorre quando algum gatilho, possivelmente alguém atraente, chama sua atenção e desperta desejo.

Este processo natural faz com que você se arrume e saia para namorar.

Você não consegue controlar esta vontade, mas pode controlar o seu comportamento diante dela.

Você pode sentir muita atração pela esposa do vizinho, ou pelo marido de sua colega de trabalho, até aí é perfeitamente natural, sendo que você não pode controlar este desejo, mas pode perfeitamente controlar seu comportamento diante dele.

O medo é outro exemplo claro.

É normal ter medo de algo, pois o medo existe como um sistema protetor de nossa personalidade e você não pode controlar o medo que sente, mas pode controlar o seu comportamento diante dele.

Você pode sentir extrema vontade de se entupir de chocolate, mas o nível de sua consciência e dedicação podem controlar seu comportamento diante desta vontade.

É assim com todos os nossos comportamentos, que nascem em vontades e desejos de origem profunda, mas que nos permitem controle sobre as ações que eles tendem a desencadear.

As ferramentas de controle da auto sabotagem:

Autocontrole
Auto sabotagem precisa ser vencida pelo autocontrole

Já sabemos que nossos instintos e impulsos acionam nossos comportamentos e que não podemos controlar as origens destes processos.

Tudo é resultado de nossa carga evolutiva e responde a isto com um potencial que não conhecemos.

Nunca esqueça que controlamos a ponta final, a dos comportamentos e ações e estas são as que originam as consequências e resultados.

Estamos, portanto, no controle final de nossos comportamentos.

Vamos exercer então!

O caminho potencial de controle de nossos comportamentos é, em primeiro lugar, reconhecer este ciclo, entender como ele funciona e reconhecer que não temos gerência consciente sobre nossas vontades, apenas sobre nossos comportamentos.

Entender este processo é o primeiro passo para o controle ou, mais precisamente, o autocontrole.

Um exemplo bem prático é o caso da gula.

O que é gula e o que é fome natural?

Você pode estar morrendo de vontade de comer algo, mas faça um exercício de pensamento:

Tente lembrar quanto tempo faz que você comeu algo, se seu ciclo de alimentação está normal, se existe algum motivo para aquela vontade, naquele momento…

Tente perceber a intensidade desta vontade, que poderia ser apenas um leve desejo ou uma vontade avassaladora de avançar sobre aquele pote de sorvete…

Perceber o funcionamento deste mecanismo permite se aproximar do controle.

Entendendo que, se você está bem alimentado, aquela vontade é fruto de outra origem, que pode estar ligada à ansiedade, à insegurança ou qualquer outro processo emocional e não biológico em seu ciclo natural.

Observar cada vontade e analisar sua origem e intensidade é o primeiro passo para exercer controle sobre seu comportamento.

Se sua vontade de comer algo se justifica porque está próximo de sua hora de almoço, por exemplo e faz mais de 3 horas que você não come nada.

Então, é perfeitamente natural e saudável que você busque algo para comer, dentro dos padrões razoáveis para aquela situação.

A fome está lá, a vontade de mergulhar no chocolate ou na churrascaria é latente, mas ainda assim, você é quem determina que tipo de alimento vai consumir.

Mesmo contrariando seu instinto primordial de se entupir de proteína e gordura, você pode decidir por aquele alimento integral, com base em vegetais e proteínas sadias.

O que vai tirar sua agonia alimentar, nutrir seu organismo e levar sua vontade para níveis bem mais controláveis.

Emoções e processos psicológicos mais complexos, como a auto sabotagem são mais delicados de lidar, pois são diversas as formas de se auto sabotar.

Isto pode deixar o cenário confuso e complicado para a compreensão, e compreender é o primeiro passo para o controle.

O caminho inicia pela consciência própria.

Parar de negar a realidade e entender o que realmente está acontecendo.

Cansamos de observar fumantes inveterados tratando o elemento do vício como se fosse um amigo carinhoso, chamando de “cigarrinho”.

Também é frequente vermos alcoólatras se referindo à bebida como uma companheira carinhosa, como uma “cervejinha” ou uma “cachacinha”.

Saia desta.

Se é complicado identificar um evento de auto sabotagem, foque nos exageros, nas situações injustificadas, nas ações de retração, de medo excessivo, de insegurança.

Tente analisar seu comportamento de médio e de longo prazo através de seu passado.

Certamente, em algum lugar, você irá perceber que agia e reagia de forma diferente diante de situações parecidas, sobretudo, quando estava começando a dar certo em algum projeto.

Os diversos níveis de auto sabotagem:

Preparando a Própria Explosão
Acendendo o pavio da auto sabotagem

Auto sabotagem possui diversas formas e diversos graus de intensidade.

Você pode apenas não cortar as unhas ou pode dar uma resposta ríspida a um superior, colocando seu emprego em risco.

Pode parecer que não existe nada de muito anormal nisto, podendo até ser relevado.

Não cortar as unhas eventualmente pode ser considerado até comum.

Responder de forma ríspida para um superior também pode ser relevado, afinal, ele é superior e gerencia pessoas, deve saber que pessoas possuem dias sim e dias não e que, na maioria das vezes, estas situações devem ser ignoradas, pois são parte da realidade humana.

Imagine repetir o tratamento com o superior, várias vezes e tente perceber que consequências isto teria.

Imagine nunca cortar as unhas, ou quase nunca tomar banho, ou não cortar os cabelos, ou andar com as roupas sujas, ou esparramar mau-humor pelo mundo, ou ser ranzinza, ou ser brigão e, enfim, imagine exagerar.

Auto sabotagem é exagerar no que é normal.

Qualquer exagero é sinal de anomalia.

Você pode questionar que se este mecanismo evolutivo existe para nossa proteção, porque ele tem a capacidade de nos destruir?

É verdade!

A resposta é simples…

Qualquer poder, sem controle, tem potencial destrutivo.

É preciso entender que estes mecanismos de evolução têm origem primitiva e estão há muito tempo enraizados em nós, muito antes até de nossa própria consciência.

Quando nos tornamos conscientes, já éramos mamíferos, já disputávamos territórios, já lutávamos para sobreviver, as amebas fazem isto até hoje.

Os cães urinam em postes para delimitar terrenos e quase explodem de raiva quando algum intruso ultrapassa seus limites.

Pessoas não urinam em postes, ou no portão da casa da namorada, ou nas salas e escritórios.

Mas antes de sermos racionais, algo mais poderoso que nossa consciência, também luta por territórios e defende os espaços, protegendo suas conquistas.

Muitas vezes, esta tênue separação entre consciente e subconsciente, entre instinto e razão, se rompe e, quando percebemos, estamos latindo em cima de uma mesa, abraçados numa agenda, com os olhos esbugalhados de raiva.

A auto sabotagem não se resume a reações atípicas num ou noutro momento.

Em sequência e intensidade, a auto sabotagem leva muito mais além do que perder o emprego.

Auto sabotagem tem potencial de produzir depressão, obesidade, relaxamento, problemas cardiovasculares, diabetes, comportamento corrosivo para si e para os outros, tendências ao suicídio e até a autoflagelação, um dos ápices de afastamento de qualquer fração de felicidade.

Auto sabotagem é uma resposta psicológica complexa, difícil de definir de forma simples.

Mas parece que a maior parte dos comportamentos de auto sabotagem está ligada exatamente ao medo de perder o controle, e isto parece se intensificar diante de cenários de mudança.

A mudança é um desafio e a imensa maioria das pessoas possui algum grau de resistência às mudanças.

Alguns distúrbios nestes níveis de resistência, podem servir de gatilho, disparando os processos de auto sabotagem.

Um determinado profissional luta ferozmente para conseguir determinada promoção e chegar até um certo posto dentro de sua organização.

Aquilo é o ápice de seu sonho profissional e, depois de muita luta e dedicação, ele finalmente é promovido, qual a sua primeira sensação?

Alegria?

Não! Insegurança!

A insegurança até é normal em qualquer situação de novidade, mas níveis descontrolados neste impulso, podem provocar um desnível no equilíbrio emocional, iniciando um comportamento de auto sabotagem.

Os 10 passos para vencer a auto sabotagem:

10 Passos para Entender a Auto Sabotagem
A fórmula para vencer a auto sabotagem

Nenhum problema ou anomalia de origem psicológica é de fácil controle, mas todo o problema de origem psicológica pode ser controlado.

Esta é a notícia boa.

Desenhamos um caminho que vai facilitar a compreensão e controle do problema, apontando atalhos e truques de comportamento que têm o poder de fazer a diferença, transformando a vida das pessoas para melhor.

O segredo é exercer o poder que temos sobre a situação que já conhecemos.

O que já sabemos, de certeza, é que não adianta controlar nossas vontades, pois só podemos controlar nossos comportamentos e, portanto, é exatamente isto que vamos fazer.

Vamos usar nossa força de vontade no controle de nossos comportamentos nocivos ou exagerados e, por lógica simples, o resultado deve ser maravilhoso.

1 – Entender e reconhecer o problema:

Conhecer o Inimigo
Saber tudo sobre auto sabotagem

Pense que você já é um vencedor.

Tente imaginar quantas centenas de milhares de pessoas gastam verdadeiras fortunas em terapias e diagnósticos e jamais conseguem entender de verdade o que estão passando.

O simples fato de você estar diante deste texto, demonstra que você buscou caminhos e que reconhece que possui o problema.

Você está em vantagem.

Imagine o alcoólatra buscando tratamento e o trabalho que é para alguém fazer o alcoólatra entender que esta é sua situação e que ele precisa de ajuda.

Enquanto o alcoólatra não reconhece sua condição e não pede ajuda, ele não terá nenhum controle sobre seu problema.

Alcoolismo também não tem cura, apenas controle, mas como você vai controlar algum mal que não reconhece possuir?

Reconhecer e entender seu problema de auto sabotagem é mais de meio caminho andado para o seu controle.

Esta é a primeira e mais importante de todas as etapas.

2 – Manter total vigilância comportamental:

Vigiar o Inimigo
Manter o olho vivo sobre a auto sabotagem

O alcoólatra sabe que não pode tomar o primeiro gole e que, portanto, sequer deve se aproximar da bebida.

A maior parte de sua terapia está associada à esta compreensão e perspectiva de que precisa manter monitoramento total sobre todas as situações em que ele seja exposto à sua fraqueza.

Com a auto sabotagem o processo é o mesmo.

Manter e exercer vigilância consciente sobre seu comportamento, principalmente nas situações que contém gatilhos que podem disparar comportamentos de auto sabotagem.

Como qualquer transformação, resistir aos impulsos é sempre muito mais difícil no início, até com alguma abstinência daquele comportamento destrutivo.

Quando você segurar aquela explosão temperamental de raiva e não tratar seu superior com brutalidade, algo dentro de você vai se revoltar e você perceberá.

Esta é a essência do autocontrole, você começa a perceber a reação racional e seus efeitos sobre o réptil que habita em você.

3 – Entenda os mecanismos de causa e efeito:

Toda Causa Produz um Efeito
Ação e reação contra a auto sabotagem

Toda ação provoca uma reação e toda causa tem um efeito.

Isto é verdadeiro inclusive para o nosso processo de raciocínio decisório.

Imagine que seu cérebro é composto por 3 entidades independentes e diferentes entre si.

De um lado, e ocupando a maior parte de todo o espaço, algo como 75%, está o mais antigo habitante, um velho, muito velho, velho pra caramba.

Com aproximadamente 50 milhões de anos de evolução, que por ser tão antigo, vem de muito tempo e cuida dos princípios mais fundamentais de sua existência, como comer, dormir, se reproduzir.

O que podemos definir como seus INSTINTOS, aquilo que você TEM QUE FAZER, compondo uma parte cientificamente chamada de CÓRTEX CEREBRAL.

De um outro lado, também muito velho, temos um outro indivíduo, este com 10 milhões de anos de evolução, muito antigo, habita uns 20% de todo o espaço e cuida da raiva, do amor, da alegria e da tristeza.

As coisas que você QUER FAZER, suas EMOÇÕES e, a este lugar do cérebro, a ciência dá o nome de LÍMBICO.

Agora imagine que os restantes 5% do espaço de seu cérebro, são habitados por um pequeno bebê, que sequer caminha, muito novinho em relação aquela velharia toda lá dentro.

Imagine que este bebê more num berço, tem apenas 10 mil anos de evolução, é chamado pela ciência de HIPOTÁLAMO e cuida das coisas que você DEVE FAZER, do que é certo e errado, também conhecido como RAZÃO.

No princípio de AÇÃO e REAÇÃO, quando recebemos alguma espécie de estímulo, tipo uma ameaça ou agressão.

Por exemplo, numa fração de segundos, imagine que aconteça uma reunião bem no meio de seu cérebro e, dela participem estes 3 habitantes que deverão decidir que REAÇÃO tomar diante daquela AÇÃO para a qual fomos submetidos.

Imagine a cena…

De um lado entra um velho, muito velho, velho pra caramba, que mora há mais tempo ali, o rei do pedaço, que foi o responsável por você ter sobrevivido por estes anos todos.

Controlando fome, sede, sexo, entretenimento, todas as suas vontades primordiais, inclusive, defesa e segurança, aquilo que você TEM QUE FAZER para continuar existindo…

Imagine a resposta deste velho quando perguntado sobre o que fazer contra aquela agressão sofrida…

Obviamente a resposta será algo como “DÁ UMA PORRADA NA CARA DESSE INIDIVÍDUO!”

O outro participante da reunião, outro velho, bem velho, entra carregando um berço, ele é responsável pelas suas EMOÇÕES, aquilo que você QUER FAZER.

Tem 10 milhões de anos morando ali, quando perguntado, responde sem pestanejar… “DÁ UMA PORRADA NA CARA DESTE CARA!”

Parece que a votação já está decidida e, enquanto os 2 anciãos disparam os mecanismos para “DAR UMA PORRADA NA CARA DAQUELE CARA”, ao fundo e ao longe, se ouve uma voz baixinha e solitária, do pequeno bebê.

Com apenas 10 mil anos de evolução, que cuida da sua RAZÃO, aquilo que é direito, que você DEVE FAZER, sussurrando sem que ninguém escute…

“PAREM, NÃO FAÇAM ISTO, SEJAM EQUILIBRADOS, VAMOS IGNORAR E DEIXAR PRA LÁ…!”

Compreenda esta tendência antropológica e se prepare para ouvir o bebê.

Deixe a RAZÃO se manifestar, sabendo que ela sempre fala por último, sempre tem a voz mais baixa, é sempre a menos poderosa, mas em compensação, é sempre a única que está certa.

4 – Assuma o controle de seus pensamentos:

Defina Seus Destinos
Assumir o controle sobre a vida e eliminar a auto sabotagem

Chegou a hora de se libertar.

A auto sabotagem é um evento que acontece somente quando você não está no controle, pois qualquer nível de controle racional não permitiria aquele tipo de comportamento.

O momento é de sair do automático e assumir as rédeas de seu direcionamento comportamental.

É o momento de deixar de ser guiado pelo réptil e colocar a razão no comando de suas atitudes e decisões, sobretudo nos momentos críticos, onde você percebe que está exposto.

Assim como o alcoólatra que passa em frente ao bar e toma uma série de precauções para não cair em tentação, você vai monitorar o ambiente e seu estado emocional e vai controlar seu comportamento.

5 – Entenda o seu nível de importância, valor e potencial:

Valorize Your Self
Auto sabotagem não reconhece valor

Só pode ser destruído aquilo que existe, pois se algo não existe, não precisa ser destruído.

Lógica absurda esta, mas plenamente verdadeira.

Para destruir um relacionamento é preciso existir um relacionamento.

Para destruir um emprego é preciso estar empregado.

Para destruir um círculo de amizades é preciso ter amigos.

Para destruir seu valor é preciso ter valor.

Você teve capacidade, em algum momento da vida, de estabelecer relacionamentos, amizades, conseguir um emprego.

Só fez tudo isto porque tem valor, caso contrário, não teria nada ou quase nada para destruir ou sabotar.

É preciso praticar o reconhecimento deste valor, impedindo que pensamentos negativos atinjam sua autoestima e seu respeito próprio.

6 – Caminhe para a frente e se desprenda das âncoras do passado:

Olhe para a Frente
Não deixe a auto sabotagem te amarrar no passado

Deixe o passado guardado no grande baú das coisas que já aconteceram e que servem apenas de referência para o futuro, um espelho dos erros que cometemos.

Ande para a frente, soltando as amarras que te prendem no passado e que te afastam da mudança, da inovação, do avanço em direção ao futuro.

Excesso de passado te prende e te impede de mudar e você, como todo mundo, precisa acompanhar o tempo e vencer o relógio da vida, andando na frente, sendo protagonista de sua própria história.

7 – Construa, mantenha e treine os novos comportamentos:

Treinar para Evoluir
Auto sabotagem não encontra lugar em cérebros evoluídos

A repetição leva à perfeição.

Construa seus novos comportamentos e o tempo, além da prática, vão se encarregar de estabelecer e consolidar suas novas posições psicológicas.

Assuma a felicidade e o comportamento necessário para ser feliz.

Você é resultado de suas ações e decisões, basta controlar o que parte de você e a vida melhora o que retorna para você.

Obviamente não é um processo fácil, mais jamais dissemos que seria, aliás, nada na vida é fácil.

Estamos falando de transformação e de nova forma de vida, e isto exige tempo, esforço e dedicação, mas o fundamental é a DECISÃO.

8 – Enriqueça a alma com paciência e humildade:

Exercite a Paciência
Auto sabotagem tem pressa

Auto sabotagem não combina com paciência.

Auto sabotagem é imediata, instantânea, impulsiva e irracional.

Paciência, ao contrário, é a ciência de operar com o tempo, de entender o seu próprio tempo, o tempo das outras pessoas, o tempo da vida, o tempo do mundo.

É entrar em harmonia com estes processos, promovendo a sincronização entre todos os tempos que interferem em sua vida.

Exercite a calma e a tranquilidade, prolifere a humildade e reconheça seu valor.

Ao mesmo tempo em que entende que você é um ser social e que as outras pessoas também possuem seu valor e merecem integral respeito por isto.

Pratique a humildade como um exercício, cumprimente, sorria sempre, seja cortês, observe se não há alguém mais velho precisando sentar, faça favores, agradeça sempre e não hesite por nenhum minuto sequer em pedir desculpas, em demonstrar arrependimento por atitudes soberbas ou por machucar pessoas.

Com estas atitudes, a tarefa da transformação, que é árdua e desafiadora, ficará muito mais facilitada.

9 – Compartilhe suas dificuldades e problemas com seu círculo de confiança:

Compartilhar Confiança
Pessoas são bons remédios para a auto sabotagem

Pessoas gostam de ajudar quem está tentando se ajudar.

Pessoas deixam de ajudar quem apenas se atrapalha.

Você atingiu a dádiva de entender seu próprio problema, o que te leva para um outro patamar e agora você pode compartilhar esta descoberta e sua nova fase com as pessoas que confia.

Obtendo ajuda, trocando informações e experiências, comemorando vitórias pessoais, evolução psicológica e falando dos medos, aflições e dificuldades.

Algumas batalhas, por mais próprias que sejam, são pesadas demais para ser enfrentadas na solidão.

10 – Perseverança para vencer os desafios. Você é um lutador e esta é uma luta que precisa ser vencida:

Perseverar Sempre
Não desista, pois a auto sabotagem também não desiste

Auto sabotagem parte de um princípio instintivo poderoso e não pode ser subestimada.

Auto sabotagem é um inimigo interno com muitos truques e esconderijos internos, que se esconde nos cantos da sua mente e se alimenta das suas dúvidas, inseguranças e incertezas.

Tenha confiança em seu poder pessoal, entenda sua missão e vá à luta com coragem e bravura.

Não desista nunca, mantenha a perseverança e o foco, esteja sempre apontado para a vitória e, na hora de sofrer, sofra, na hora de doer, resista, na hora de encarar, encare, sempre descanse, mas nunca desista.

Esta é a batalha da sua vida e nada é mais importante que a vitória.

Vencer a auto sabotagem é um desafio que só você pode conquistar:

Você Merece Vencer
Você tem o direito e o dever de se libertar da auto sabotagem

Auto sabotagem é o inimigo poderoso que não tem piedade e clemência e só você pode enfrentar.

A batalha é sua e você tem todas as armas para vencer.

Se este monstro insensível se alimenta de suas fraquezas, inseguranças e falta de conhecimento.

Vamos carregar seu estoque de munições com segurança, com conhecimento e com a força necessária para enfrentar este elemento psicológico que atrasa sua vida e interfere na construção da sua felicidade.

A maior parte das pessoas é refém do problema e sofre suas consequências até o momento em que reconhece o mal que habita em si e reage com vigor ao feroz inimigo.

O simples fato de conhecer e reconhecer o problema, já dá início a um vigoroso processo de transformação.

Você é a sublimação da perfeição evolutiva, está em constante transformação e aprimoramento, é resultado de bilhões de anos de caminhada genética e precisa entender todo este potencial e valor.

Em resumo, você é algo pelo qual realmente vale a pena lutar e insistir, pois nada, em toda a face da Terra, é tão poderoso quanto a sua força de vontade e toda a transformação depende de uma simples atitude: DECISÃO.

Tags: | | | | | | |

Invista em sua Evolução Pessoal!

Quer conteúdo de qualidade ? Assine a lista e fique por dentro de todas as nossas atualizações

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Sobre o Autor

Caio Vinicius
Caio Vinicius

Analista de TI. Apaixonado por Desenvolvimento Pessoal, livros, psicologia e comportamento humano. Viciado em aprender. Acredito que conhecimento seguido de ações é o único caminho para transformar a sua vida.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *