fbpx
Aprender sempre

Aprender é a principal qualidade humana

Aprender sempre é o princípio de qualquer esfera de evolução, pois é com a capacidade de aprender que se consegue construir novos conhecimentos e se adequar às transformações do mundo.

A capacidade de aprender talvez seja o ativo técnico, profissional e pessoal mais valioso dos dias atuais.

Pois num mundo dinâmico, em constante transformação, em que o crescimento e avanço das novas tecnologias e conhecimentos não para de se retroalimentar, ter a capacidade de aprender é fundamental para se manter ativo em todos os caminhos da vida.

Aprender é um diferencial altamente valorizado nas corporações modernas, de todos os portes, para todas as funções e o crescimento e consolidação profissional e pessoal se dá através do aprendizado.

Aprender é um estado de consciência de que é preciso aprender, é entender a importância de aprender sempre e estar preparado para rever conceitos a todo o momento.

Aprender, sobretudo, é flexibilidade de pensamento e da forma de entender as coisas, os processos, a vida.

Vamos falar sobre aprendizado, sobre como aprender, como absorver e praticar o conhecimento, fazendo da capacidade de aprender, o instrumento de transformação, crescimento, e melhoria contínua.

Aprender a aprender é fundamental para evoluir:

Aprender é um processo que precisa ser aprendido

Aprender é um processo que precisa ser aprendido

Aprender a aprender é a verdadeira capacidade que transformou a humanidade e proporcionou a evolução humana ao estágio em que nos encontramos hoje, e será esta mesma capacidade que vai construir a humanidade do futuro.

O conceito de aprender a aprender inicia pela necessidade de reconhecer a necessidade de aprender, de estar consciente de que precisa evoluir.

E isto requer a humildade de reconhecer que existe muito mais a ser aprendido do que todo o conhecimento que sejamos capazes de absorver durante nossa existência.

No momento em que a vida nos desafia a aprender algo, normalmente nos deparamos com uma quase incapacidade de entender a forma de aprender.

Guardamos registros dos tempos do estudo e vamos buscar em nosso cérebro as informações consolidadas de nossa forma tradicional de construir aprendizado.

Normalmente perdemos tempo com isto, pois aprender é um processo puro de absorção de conhecimento e na razão lógica das coisas.

O conhecimento não ocupa espaço, mas ocupa atenção, e quando achamos que já sabemos tudo, as portas do aprendizado se bloqueiam e parecemos cegos diante dos cenários destes novos desafios.

O conhecimento é o elemento transformador e ele chega através do aprendizado e este só acontece quando realmente entendemos a verdadeira necessidade de aprender.

Parece simples, porque é simples.

Aprender e suas principais dificuldades:

Aprender sempre é o exercício da inteligência

Aprender é o exercício da inteligência

Aprender, para todas as espécies, está relacionado a mais amor ou menos dor, sendo estes os 2 caminhos do aprendizado.

Uma pessoa só aprende por mais amor (quando absorve, entende e acredita nos ensinamentos dos outros) ou por menos dor, experimentando caminhos dolorosos e compreendendo a forma de não fazer as coisas.

Muitas vezes, não acreditamos quando nossa mãe diz que não se deve colocar a mão no fogo, porque queima e dói (mais amor), mas por vezes, deixamos, mesmo sem querer, o braço encostar na panela quente, e sentimos a dor da queimadura, aprendendo que o fogo queima e dói (menos dor).

Aprender requer compreensão, que é a ferramenta que joga a informação para dentro do campo do aprendizado.

Você só aprende quando compreende.

Experimente ensinar algo a alguém, com detalhes, de forma dedicada e afetuosa, com a verdadeira intenção de que esta pessoa aprenda.

Agora que já passou o ensinamento, pergunte a esta pessoa se ela entendeu…

Provavelmente ela responderá que sim, então siga um pouco mais e pergunte:

“Entendeu o quê?”

Ela vai soltar um sorriso sutil, e vai assumir uma expressão de que não está entendendo porque você está perguntando aquilo e, ao mesmo tempo, dará ares de que está buscando em sua mente uma forma de dizer o que entendeu.

Mesmo sem você falar nada, ela perceberá que terá dificuldades, por 2 motivos:

  • Primeiro porque é difícil processar um conhecimento em suas próprias palavras,
  • Segundo, porque provavelmente ela está insegura sobre o que entendeu, pelo simples fato de que ela não entendeu a plenitude daquele conhecimento.

Mesmo diante de manuais e tutoriais minuciosamente explicados sobre como executar tarefas, a maioria das pessoas precisa perguntar para alguém sobre o que está ali, claramente descrito.

Retenção do conhecimento:

Aprender está associado à capacidade de reter o conhecimento absorvido, onde diversos estudos apontam que a média humana tem potencial de retenção de apenas 20% de tudo aquilo que recebe, e que o restante do conhecimento precisa de mais sessões para ir se acoplando.

A isto se dá o nome de capacidade de retenção e está associado ao meio de transferência de nossos 2 tipos de memória:

Memória de curto prazo:

Tudo começa na primeira memória

Aprender começa na primeira memória

Memória de curto prazo é um conjunto de processamento de informações muito mais ágil e de eficiência por menor período de tempo, se perdendo gradativamente com o passar do tempo.

A maioria das informações registradas pela memória de curto prazo se dispersa após alguns segundos, enquanto a minoria é transferida para a memória de longo prazo e lá vira conhecimento consolidado.

Uma definição mais prática e objetiva da memória de curto prazo é sua capacidade limitada de absorção de informação e um prazo curto de registro.

Características de capacidade da memória de curto prazo:

Quando alguém é provocado a memorizar uma sequência de 10 dígitos, provavelmente este indivíduo vai conseguir guardar, por pouco espaço de tempo, uma quantidade entre 5 e 9 do total.

Isso porque, o espaço disponível para a memória de curto prazo, possibilita em média, a retenção de até 7 informações diferentes de uma única vez, com uma variação de 2 (mais 2 além de 7 ou menos 2 abaixo de 7).

Somos seres distintos entre nós e algumas pessoas possuem maior ou menor capacidade de memória de curto prazo, mas estamos nos referindo à média da humanidade.

Alguns fatores que podem provocar uma variação na quantidade de elementos registrados na memória de curto prazo estão relacionados ao tamanho da informação, sua relevância emocional para o indivíduo ou algumas outras questões de característica própria.

Um exemplo de práticas de facilitação da memorização é a ordenação dos números de telefone em sequências quantitativas, como um grupo de 3 dígitos seguido por 3 sequências de 2 dígitos.

Características de duração da memória de curto prazo:

Estimativas de estudos neuropsíquicos apontam que o tempo de duração efetiva da memória de curto prazo é de algo entre 20 e 30 segundos, mas esta capacidade pode ser ampliada a partir de treino e aperfeiçoamento.

Depois deste tempo, 20% da informação permanece no limbo entre a memória de curto prazo e a de longo prazo, onde entram aproximadamente 5% do conhecimento, enquanto a maior parte se perde e dilui em menos de meio minuto.

A memória de curto prazo é a porta de entrada para a memória de longo prazo, que é onde se consolida o conhecimento, sendo, portanto, o elemento primordial da capacidade de aprender.

Qualquer dano à memória de curto prazo compromete diretamente a memória de longo prazo, por isto drogas são tão prejudiciais à capacidade de aprender.

Elas afetam diretamente a memória de curto prazo, o que torna o usuário prejudicado em seu potencial de absorver novos conhecimentos.

Memória de longo prazo:

O conhecimento se consolida na memória de longo prazo

Aprender se consolida na memória de longo prazo

A memória de longo prazo já é o campo de consolidação do conhecimento, a parte que processa e retém, por mais tempo (às vezes a vida toda), alguns grupos de informações, que por sua retenção e organização, se transformam em conhecimento efetivo.

A mente humana é um mecanismo complexo, o mais complexo de todos os seres vivos e realiza milhões de operações a cada segundo.

Ao mesmo tempo em que estamos atuando conscientemente lendo este artigo, por exemplo, alguns outros segmentos de nossa mente classificam sons, aromas, sabores, sensações de diversos tipos, além dos pensamentos que flutuam, vagando desordenadamente e surgem diante de nossa mente como se partissem do nada.

O conhecimento adquirido através da vida se consolida em nossa memória de longo prazo e é isto que nos permite interagir e transformar o meio e o mundo.

Os mecanismos de nossa memória de longo prazo funcionam a partir de intrincados processos de codificação, retenção e recuperação.

A codificação reconhece padrões e acontece na Memória Sensorial Motora (MSM), envolvendo uma associação entre um significado e um padrão sensorial.

Os sentidos percebem a realidade, retém por alguns instantes através da memória de curto prazo, que avalia sua relevância e estabelece uma codificação hierárquica dentro do pensamento.

A retenção se dá de forma compartilhada, entre a memória de curto e a de longo prazo, na zona limítrofe entre as duas, sendo o momento em que a maior parte se perde e o que gera interesse profundo se acumula, passando para a memória de longo prazo.

A recuperação acontece na memória de longo prazo e, quando uma necessidade é acionada, o cérebro realiza uma busca pela informação solicitada, podendo ser uma resposta, uma forma de realizar alguma tarefa, uma habilidade, qualquer coisa.

A memória de longo prazo é ilimitada e aquilo que foi aprendido fica ali para sempre, pois jamais é esquecido.

15 dicas para melhorar sua capacidade de aprender:

Aprender sempre é utilizar diversos mecanismos da sensibilidade humana

Aprender utiliza diversos mecanismos da sensibilidade humana

Aprender é algo que pode e deve ser aperfeiçoado, pois a capacidade de aprender é evolutiva, como um músculo, que se aprimora e aumenta seu potencial na mesma proporção em que é exigido a esforços mais extremos e contínuos.

Selecionamos 15 dicas que vão ajudar no seu processo de treinamento e aperfeiçoamento de sua capacidade de aprender.

#1. Assista vídeos:

Aprender é mais fácil utilizando os avanços da tecnologia moderna e ela trouxe maravilhas como o Youtube, que possui conhecimento expressivo disponível gratuitamente, sobre praticamente tudo.

Considere que o cérebro registra muito mais conteúdo de vídeo do que qualquer outra forma de apresentação.

#2. Mantenha o hábito de escrever:

Quando você escreve algo, o seu cérebro processa melhor a informação, pois os processos necessários para escrever, auxiliam na gravação daquela informação nos diferentes níveis de memória, melhorando a consolidação do aprendizado.

#3. Crie e utilize mapas mentais:

Aprender é um processo de organização mental e, para isto, utilize a construção de mapas mentais que nada mais são do que uma espécie de organograma para auxiliar seu processo de aprendizado.

Nos mapas mentais estão especificadas as prioridades, os caminhos, os prazos e as ferramentas que você vai utilizar para melhorar seu conhecimento.

#4. Maximizar seus períodos de aprendizado:

Mantenha seu smartphone, seu note ou tablet preparado, com conteúdo pré-selecionado sobre o que você quer aprender e utilize os momentos improdutivos para absorver este conhecimento.

Seja no trânsito, no ônibus, em alguns intervalos, em situações de espera, tenha sempre a mão a informação qualificada que você precisa absorver e aprimorar.

#5. Aprimore a sua capacidade de concentração:

Aprender requer concentração, então exercite o potencial de se ater ao que está absorvendo, seja vídeo, texto ou outra forma de informação.

Treine seu foco e sua perspectiva de atenção ao que realmente importa, pois se conseguir isto, alcançará com maior facilidade o nível de concentração necessário para aprender.

#6. Aprender com consistência:

Tenha dedicação e disciplina para aprender e crie métodos consistentes para estudar.

Determine padrões de estudar algo ao menos uma vez ao dia, pelo menos, assim você terá um norte a seguir e metas a cumprir, que quando conquistadas, vão favorecer seu aprendizado.

#7. Ensine o que você aprende:

Ensinar outras pessoas aquilo que você aprendeu é a melhor forma de consolidar o conhecimento obtido, pois você exercita este conhecimento, o que o leva a aprender com maior eficiência.

Seu cérebro é acionado e seu conjunto de memórias é exigido em alto nível quando você se depara com os caminhos que a outra pessoa precisa percorrer para entender seu conhecimento.

#8. Coloque seu conhecimento em prática:

Saber e não usar é não saber ainda, portanto, pratique os ensinamentos que aprendeu, já que este exercício e esta prática vão ativar o seu processo de memorização, o que vai consolidar seu conhecimento.

O princípio do conhecimento é adquirir, usar e experimentar o aprendizado e suas variáveis, ajustando sempre o conhecimento à condição prática da sua aplicação.

#9. Exercite diferentes fontes de conhecimento:

Tente buscar o mesmo tipo de conhecimento de diversas fontes diferentes, pois por vezes, formas diferentes de ver as coisas, acabam sendo formas diferentes de compreender, e aquilo que não parece claro num enfoque, pode ficar transparente e cristalino em outro.

#10. Aprenda a descansar, não a desistir:

Realizar pausas entre os processos de aprendizado é uma atitude relevante para proporcionar uma melhor assimilação.

Dar tempo de memorização, limpar a memória de curto prazo, permitindo que ela reabasteça com melhor vigor e qualidade a linha de aprendizado, é inteligente e produtivo.

#11. Valorize o sono:

O sono é um ingrediente importante para o processo de aprender, não apenas pelo indispensável descanso, mas pela renovação dos caminhos do aprendizado e funcionamento da memória.

Crie condições para ter um sono de qualidade, dormir bastante e bem, de forma a se sentir ativo no dia seguinte, pois a condição mental é similar à física e requer recuperação, sem esquecer que o pensamento consome muito mais energia que o corpo todo.

55% de nossa energia é consumida pelo cérebro, que não para nunca.

#12. Pratique atividade física e mantenha a forma:

Aprender requer conforto físico, pois se não, você cansa de estudar e para evitar isto, um dos caminhos é manter a forma física, praticar exercícios regulares adaptados ao seu biotipo, sem forçar, mas de forma permanente.

Uma boa saúde cria condições adequadas para que o cérebro processe melhor suas tarefas e informações.

O cérebro precisa de oxigenação em seu processo de aprendizado e um corpo sedentário terá dificuldade de fornecer a circulação necessária para a evolução exigida.

#13. Cuide da alimentação:

Aprender requer que você cuide e valorize a sua alimentação, consumindo alimentos de qualidade, evitando gorduras e excessos de todos os tipos.

Privilegie a primeira refeição do dia, pois ela abastecerá de energia seu organismo e seu cérebro, exatamente no momento em que ambos serão mais exigidos e você precisa de ânimo e disposição para iniciar bem o período.

#14. Mantenha o hábito de revisar periodicamente aquilo que aprender:

Estabeleça padrões para revisar de tempos em tempos aquilo que aprender, pois esta é uma forma de não deixar o conhecimento adormecer.

Embora infinito em sua capacidade de aprendizado, o cérebro cria mecanismos de prioridade para as informações, mandando para áreas mais profundas as informações que costumam ser menos utilizadas.

Por isto, uma rotina de revisão periódica do aprendizado tende a revitalizar o conjunto de conhecimento adquirido.

#15. Crie grupos de aprendizado:

Aprender fica mais fácil quando você complementa sua atividade com a participação de pessoas com o mesmo foco.

A evolução da tecnologia e o surgimento das redes sociais, permite a criação e participação em grupos sobre temas exclusivos, onde acontece uma consistente troca de informações e conhecimentos.

A maior parte é originada através de experiências e, aprender com os erros dos outros é mais inteligente do que ter de aprender errando.

Peça ajuda, seja humilde e generoso, que a rede será cada vez melhor e mais valorizada.

Aprender é um processo constante, infinito e que deve ser alimentado e preservado:

é um processo infinito

Aprender é um processo infinito

Aprender não se encerra em si mesmo, pois quanto mais alguém aprende, mais capacitado está para aprender mais ainda e alimentar um ciclo virtuoso que leva à evolução constante a partir da melhoria contínua.

Cada dia mais, importa menos o que a pessoa sabe e muito mais aquilo que ela tem capacidade de aprender.

A capacidade de aprender é uma das mais valorizadas qualidades do profissional moderno e do futuro, pois se alguém tem uma capacidade diferenciada de aprender, está definitivamente melhor qualificado para enfrentar os desafios que ainda nem foram compreendidos direito.

Sua máquina de aprender é seu componente mais valioso, o único que tem capacidade e potencial de transformar sua vida e realizar seus projetos e sonhos.

Evite usar drogas, elas destroem os neurônios do complexo mais nobre de seu cérebro, o que cuida de sua memória de curto prazo e, matando sua memória de curto prazo, você liquida com a sua esponja de absorver conhecimento.

Já não é fácil aprender com tudo funcionando certinho, mas se você for jogar areia no próprio radiador, acredite, seu motor vai fundir e você não vai chegar a lugar nenhum.

Tenha consciência da necessidade de aprender sempre, esteja pronto para isto e exercite a fundo a humildade, pois o conhecimento só encontra lugar onde ele é bem-vindo e se estabelece onde encontra espaço.

Não ocupe o lugar de seu conhecimento com empáfia, arrogância e falta de humildade, pois quanto mais tivermos a consciência de que nada sabemos, maior será a quantidade de conhecimentos que estaremos prontos a experimentar.


Caio Vinicius

Analista de TI. Apaixonado por Desenvolvimento Pessoal, livros, psicologia e comportamento humano. Viciado em aprender. Acredito que conhecimento seguido de ações é o único caminho para transformar a sua vida.

0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *